Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Ex-professora da rede municipal de Capivari morre em decorrência da Covid-19

Publicado em 01/05/2021 às 23:04 - Atualizado em 01/05/2021 às 23:04

Maria de Jesus Lúcio tinha 65 anos, ela deixa um filho, dois netos e um bisneto Baixar Imagem

O prefeito Dr. Vicente Costa e a vice-prefeita, Márcia Roberg Cargnin emitem nota de pesar, em nome da Prefeitura e da Secretaria de Educação do município, em virtude da morte da professora aposentada Maria de Jesus Lúcio, aos 65 anos, por complicações geradas pela Covid-19. Ela tinha apenas uma comorbidade (diabetes).  

 

Dona Maria lecionou Matemática por muitos anos na Escola Estadual General Osvaldo Pinto da Veiga, e também por um período na Escola Municipal Vitório Marcon, na comunidade da Ilhotinha, onde também era catequista e uma das grandes líderes comunitárias. "Ficamos extremamente tristes com a perda de uma pessoa tão querida na cidade. Ela trabalhou com minha mãe. Era uma pessoa a qual nossa família tinha muito carinho", lamenta Dr. Vicente.

 

A educadora estava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) há 21 dias. Ela foi encontrada caída no chão do quarto com dificuldade respiratória e levada direto à UTI. Maria era divorciada e teve dois filhos, mas a filha, Sueli Machado, havia falecido no ano passado em virtude de um câncer, ficando um filho. Teve dois netos e um bisneto. A família mora toda na Ilhotinha, que está de luto pela perda.

 

"Era uma professora muito querida. Já era aposentada quando veio trabalhar na rede municipal. Era muito querida e eficiente. Também uma exímia líder comunitária. É uma grande perda no setor da Educação e para toda a cidade", observa a vice-prefeita.

 

Conforme Jadna Machado, diretora do Centro de Educação Infantil (CEI) Amélia Zanela Machado, que fica ao lado da Escola Vitório Marcon, dona Maria foi exemplo de profissional do magistério e uma mulher íntegra, respeitada e com bastante influência positiva na Ilhotinha. "Era uma lutadora da causa negra e defensora dos descendentes de quilombolas. Merece nosso reconhecimento", resume Jadna, que também era sobrinha de Maria.

 

O óbito ocorreu por volta das 17h30 deste sábado (1°). O velório - de apenas duas horas e restrito a familiares - será na Funerária Capela Capivari do Dudu, atrás da Igreja Matriz, a partir das 8h deste domingo (2). O sepultamento está marcado para as 10h, no Cemitério Municipal, na região central da cidade.